sábado, 21 de maio de 2016

Sintra, Jardim Zoológico e muito mais.

Blog_Felix_SINTRA_e_+

NOTA: Para a correta visualização acedam e vejam o conteúdo com o "Google Chrome".

Olá a todos mais uma vez!

Peço desculpas pela demora na publicação, há muitas coisas que fazer , e tantas coisas das que escrever que mesmo custa escolher. Já têm as pipocas prontas?...então?...a que é que esperam? Em esta ocasião trago muitas coisas novas, espero que gostem.


Abaixo umas canções para ouvirem que considerei muito engraçadas, são: "os maridos das outras", "as mulheres dos outros" e uma um bocadinho mais animada para que não se aborreçam entretanto olham este cantinho. Os colegas de turma do "I.E.S. San Clemente" deveriam ter conhecimento da canção "Os maridos das outras" já que ouvimos em aulas de português, na Galiza, com a Ana Soares, uma muito fixe auxiliar de conversa a qual agradeço gran parte do que aprendi sobre o idioma, não menos importante às aulas de reforço com a professora Dévora, e às aulas em bilíngue com o professor Marcos Vence.

Os maridos das outras: As mulheres dos outros:
Mais uma canção, um pouco mais animada:

Penso que não estamos a perder o tempo como podem ver, sempre trago novidades de lugares que visitamos, coisas que nos acontecem e também coisas que faço no trabalho. Nesta ocasião como eu diz na publicação anterior visitamos o "Jardim Zoológico", "Sintra" e muitos lugares mais.

Vou começar por mostrar-vos algumas coisas típicas portuguesas:

A GINJINHA OU LICOR DE GINJA

A ginja é uma fruta muito parecida com a cereja, pode-se dizer que é a gémea amarga, é o que lá na Galiza conhecemos como a "Guinda", o licor lá também muito parecido, é a "caña de guindas" mas o sabor muda, acho que pode ser pelas ginjas, já que, segundo a minha investigação surpreendentemente a receita é a mesma XD. Este licor é comummente conhecido en todo Portugal mas o que me disseram é que a sua popularidade é maior em Óbidos onde tem nome próprio, "Ginja de Óbidos" onde o mais comum é experimentá-la em chávena de chocolate, compensa o sabor amargo da ginja com o doce sabor do chocolate. Alguns colegas que estão a fazer o estagio tiveram a ocasião de visitar Óbidos, mas também há lugares em Lisboa onde se pode experimentar. A continuação umas fotos:

A FRANCESINHA E A SOPA DA PEDRA

A "francesinha" é um prato típico de O Porto mas também há muitos lugares em Lisboa onde pode ser experimentado, eu próprio tive ocasião de degustar o prato em um restaurante da "Praça da Figueira", um prato que penso que é necessário duas pessoas já que farta muito.
A "Sopa da pedra" ou "Sopa de pedra" , é uma sopa típica de Portugal, em particular da cidade de Almeirim. O nome tem como base uma lenda associada muito fixe:

Conta a lenda que há muito muito tempo, em Almeirim vivia um frade muito pobre que costumava andar de aldeia em aldeia bater às portas, pedindo comida.
Numa das suas paragens, o frade bateu à porta de uns camponeses, mas estes não lhe deram nada. Perante esta resposta o frade, cheio de fome, foi pegar numa pedra do chão e olhando para ela diz:
-Então, vou fazer uma sopa de pedra!.
Os camponeses riram dele, mas ao mesmo tempo estavam curiosos para saber o que ele tinha a intenção de fazer e pergunta a camponesa:
-Que raio de sopa é essa?.
Foi o que o frade quis ouvir. Depois de ter lavado a pedra, disse-lhes:
-Se me emprestassem um pucarinho posso ensinar como se faz.
Deixaram-lhe uma panela de barro. Ele encheu-a de água e deitou-lhe a pedra dentro. Seguidamente:
-Agora, se me deixassem estar a panelinha aí, ao pé das brasas...
Os camponeses deixaram. Assim que a panela começou a chiar, disse ele mais uma vez:
-Com um bocadinho de unto é que o caldo ficava a primor!.
Foram-lhe buscar um pedaço de unto. Ferveu, ferveu, e a gente da casa pasmada para o que via. O frade, provando o caldo:
-Está um nadinha insosso. Bem precisa duma pedrinha de sal.
Também lhe deram o sal. Temperou, provou, e disse:
-Agora é que, com uns olhinhos de couve, ficava que até os anjos o comeriam.
A dona da casa foi à horta e trouxe-lhe duas couves. O frade limpou-as e ripou-as com os dedos e deitou as folhas na panela. Quando os olhos já estavam aferventados, arriscou: "ai! um naquinho de chouriço é que lhe dava uma graça!...". Trouxeram-lhe um pedaço de chouriço. Ele pô-lo na panela e, enquanto se cozia, tirou do alforge pão e arranjou-se para comer com vagar. O caldo cheirava que era um regalo. Comeu e lambeu o beiço. Depois de despejada a panela, ficou a pedra no fundo.
A gente da casa, que estava com os olhos nele, perguntou-lhe:
-Ó senhor frade, então a pedra?
-A pedra... lavo-a e levo-a comigo para outra vez!

Abaixo umas fotos destas deliciosas comidas, estou certo de que vão ter fome depois de que vejam, e sim, o que há no prato da direita é uma pedra, não uma batata, hahaha:


Os colegas do "I.E.S. San Clemente" estamos em contacto pelo "whatsapp" e alguns combinamos para visitar Lisboa. Nas aventuras que fazemos tiramos milhões de fotos, abaixo escrevo dos lugares que visitamos começando pelo bairro de "Alfama":

A SÉ DE LISBOA OU IGREJA DE SANTA MARIA MAIOR

Estivemos a passear por muitos bairros, segundo o meu telemóvel indicava que recorremos por volta de 20km . Ao cair da noite, de volta para casa passávamos pela "Sé" e estava aberta pelo que decidimos entrar a olhar, não fazíamos ideia que iam realizar a celebração da missa de "Vigília de Pentecostés", aqueles que não conheçam é a missa que se celebra 50 dias depois do domingo de Páscoa. Na entrada deram-nos uma vela a cada um e um folheto onde se explicava que iam fazer, mas pronto, não queria-mos ficar já que estávamos muito cansados depois de tanto andar, mesmo assim acho que foi a melhor parte à que ficamos, muito gira, já que justamente foi ao princípio quando se incendeiam as velas.

Deixo abaixo umas fotos para que vejam:


Aproveito para apresentar o Gonzalo e a Rocío, dois colegas do I.E.S. San Clemente com os que combinamos, na foto de abaixo. O Gonzalo à esquerda e a Rocío à direita.

COISAS SOBRE O TRABALHO:

Quanto ao trabalho todo está a ficar muito bem, o trabalho a fazer é o que eu diz nas outras publicações, acrescento mais alguma coisa, p.e.: instalação de software em computadores, resolução de incidências junto dos utilizadores e remotamente, reposição de imagens, etc.
Quase todos os dias fico a comer no refeitório da empresa com os companheiros de trabalho, portanto trago a comida da casa. Após de comer, imos dar uma volta pelos arredores ao que os companheiros de trabalho chamam "passeio dos tristes", devido a que sempre são as mesmas vistas.

Abaixo algumas das incidências que ajudei a resolver. Devem fazer clique nas imagens para ver a ecrã inteiro:


Abaixo um ticket a ser fechado e um dos computadores do processo de "rollout" os quais trazem discos que empregam o protocolo "NVMe" montado em ranhura de expansão "M.2" como podem ver:

Agora sim, vou a mostrar algumas fotos que tiramos durante a visita ao "Jardim Zoológico" e "Sintra", começo pelo jardim zoológico, eu já tinha visitado quando vim a Lisboa ter aulas ao "INETE", mas aquela vez eu e o meu colega "David" vimos so pela tarde, desta eu mais a minha namorada "Paula" quisemos aproveitar o dia inteiro para olhar com detalhe todo, e poder assistir aos eventos que no zoológico fazem.

Jardim Zoológico de Lisboa:

A entrada ao jardim zoológico: Fila de pagamentos:
Tivemos que ficar quase uma hora à espera para poder entrar.


Papagaios Vermelhos: Ilha dos macacos:
Na foto não se percebem muito bem os macacos mas sim que há.


Camelos: Leoneira ou covil de leões:


Hipopótamo: Rinoceronte:


Papagaio zinzento: Tigre:


Elefante: Zebra:


Pavão real:


Flamingos rosados: Girafas:


Um dos lugares que fiquei com vontade de ver quando vim da outra vez foi a zona dos répteis, mas desta vez não esqueci visitar.

Crocodilo:
O parque dos crocodilos fica onda o McDonald's, mesmo podes estar saboreando uma hambúrguer enquanto olhas para eles, (mas é aborrecido , estão quase todo o dia a dormir).
Tartarugas:


Lagartos de diferentes espécies: Piranhas:


Muitas serpentes de diferentes espécies:


Tarântula: Camaleão:


Os eventos que fomos são o que fazem na zona do "bosque encantado" e na "baía dos golfinhos"

Papagaios vermelhos voando em liberdade:


Ave de rapina voando também en liberdade: Mocho ou bufo:


A "baía dos golfinhos", a minha namorada mais eu adoramos, vou fornecer algum vídeo para que vejam mais abaixo, mas antes umas fotos:


As treinadoras fizeram umas cenas incríveis como podem ver nas fotos a seguir:


Depois foi a vez dos leões marinhos que foram as estrelas do espectáculo, mesmo tiramos uma foto com um deles:


Como diz mais acima, algumas gravações muito giras que eu fiz a seguir:


A melhor parte do dia foi quando nos disseram se queríamos tirar uma foto com um dos leões marinhos, a estrela do espectáculo!. Paula foi a que mais perto quis ficar dele e recebeu um beijinho do leão, uma cena muito gira, mas tinha um pequeno senão, depois ficoulhe o cabelo com cheiro a sardinha apodrecida que deitava para atrás, hahaha., foi muito porreiro, além disso guardamos um inesquecível recordo.

É a vez de "SINTRA":

Uma belíssima cidade que fica a menos de uma hora do centro de Lisboa. Comprovamos que não é possível olhar tudo o que a vila oferece em um dia já que há muitas coisas a ver, mesmo assim acho que percorremos gran parte. Estou a escrever em plural porque nos juntamos para visitar Sintra alguns colegas do "I.E.S. San Clemente". Nesta aventura recorremos, em todo o dia, por volta de 20 km , quase nada!!



Esto foi perto da estação de comboio, é a "Câmara Municipal de Sintra": O primeiro objetivo, "Castelo dos Mouros", fica no alto da colina a 500 metros de altura os quais fizemos a pé, estamos assim de loucos:


Durante à ascensão olhamos muitas coisas, sobretudo escadas, mas a paisagem é espectacular. Muito recomendável. Vistas espantosas sobre "Sintra":


Com eu diz não visitamos "Sintra" sozinhos, na foto de abaixo as duas pessoas do médio são o "David" e a "Rocío": À metade de caminho, quase chegando ao castelo fizemos uma paragem num museu arqueológico onde havia exposições de coisas antigas e um mural do castelo em miniatura:


Esta foto foi tirada junto do museu: Como podem ver o museu fica num lugar muito porreiro:


Finalmente chegamos ao "Castelo dos Mouros", muito grande como podem ver já que esta foto foi tirada desde uma ponta dele: Selfie!!! , o meu rosto é um poema nesta foto, hahahah.:


Vistas extraordinárias: Uma lancheira fixe, muito importante a refeição, hahaha:


Oi senhor, o elevador? onde e que fica?: Muito comprido:


Simplesmente fixe: Excelsamente cumprido:


Desde o castelo também é possível ver o "Palácio da Pena", o nosso próximo objectivo, e sim, e precisso ir lá o fundo a pé! hahaha: Palácio "forever alone" :


Dizeis, "pneumoultramicroscopicossilicovulcanoCONIOSE"! what?...: Qualquer de vocês trouxestes pára-quedas?


Mais uma foto muito porreira: A observar a grandeza do universo:


No castelo combinamos com uns colegas os quais podem ver na foto de abaixo, à ezquerda o "Joaquin" e ao seu lado o "Pablo": Oi, aquele de lá não é Cristiano Ronaldo?:


Uma foto das vistas que há desde o castelo:


Depois de uma comprida caminhada fomos pegar ao "Palácio da Pena", un lugar também muito giro: Momento "Titanic":


Mais uma foto dos colegas com os que visitamos o Palácio: Alguma foto das vistas que há dende o alto do Palácio:


Uma foto panorâmica onde podem ver o grande que é o Palácio:


Se desde o "Castelo dos Mouros" se podía ver o "Palácio da Pena", não é extranho que seja igual ao revés, não é?: Quem fosse rei...:


Desde o alto sempre há fotos giras sobre as vistas: Bem-vindos ao bem viver:


Estivemos a olhar até o último cantinho: Já na hora do almoço:


A meio caminho da "Cruz alta": Padrão dos descobrimentos versão 2016:


Depois da caminhada um muito bem merecido descanso: Não foi fácil, mas conseguí o ângulo perfeito:


Já vos diz que eu não sou a vossa mãe! A ilha dos patinhos, eles vivem melhor que os reis:


Em esa altura já não pertencíamos aos nossos corpos, éramos movidos pela inercia e a força da gravidade a causa da descida:

E até aquí por agora. Algumas pessoas disseram-me se podiam comentar, sim que podeis comentar na parte de abaixo, o blogue fica aberto a comentários de quem quisera, tão só é precisso ter conta "gmail" ou quaisquer outra das que saem à escolha nas opções.

Muito obrigado pela sua visita, até breve! Grande abraço!!


7 comentários:

  1. Respostas
    1. Muito obrigado Rocio, foi muito engraçado combinar todos juntos.

      Eliminar
  2. Eu também, que "currada" de post hahaha.
    Força!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Brais, fico contente de que estejam a gostar, tive um bocadinho de luta com esta publicação mas acho que valeu mesmo a pena.

      Eliminar
  3. Respostas
    1. É uma das opções apontadas que tenho em mente, sempre me dizeram que tenho muita paciência e acho que é muito bom para estas coisas mais também é precisso, hahaha XD

      Eliminar